Wednesday, October 03, 2007

“Mas como assim vocês não separam o lixo orgânico do lixo reciclável?”
Frase dita por mim no início de 2005 quando primeiro cheguei às terras estadosunidenses.

“Mas como assim vocês não separam o lixo orgânico do lixo reciclável?”
Frase dita por uma amiga visitando Houston no mês passado.

É... meus caros, somos curitibanos e como tais fomos programados a separar o lixo do lixo-que-não-é-lixo. Coisa básica. Quem é de Curitiba conhece bem a palavra “separe” em letras garrafais com hifens entre as sílabas divulgada por uma campanha extensa na cidade, simples e direta:

SE-PA-RE

Nós da capital do estado da terra dos pinheirais também andamos de ônibus biarticulados, ligeirinhos, alimentadores e interbairros naturalmente como aqueles outros dirigem em highways, marginais ou linhas amarelas. Nossos terminais tem tubos anexados a eles e com uma passagem se vai longe pulando de linha em linha.

Fora isto também temos orgulho dos nossos parques. Falamos para os de fora, sem nenhuma recordação do valor exato, que nossa cidade tem as maiores áreas verdes por habitante. “São 50 metros quadrados por habitante”, diz um. “São 30 metros quadrados por habitante”, um outro afirma. Na verdade quando se está deitado no gramado do parque São Lourenço num domingo de sol e de céu azulzinho como se polarizado apreciando as ovelhinhas a comerem grama aquilo não importa.

Sou Curitibano por opção. Poderia me considerar Florianopolitano pois lá nasci, ou Carioca onde passei a infância. Até mesmo Houstoniano. Por que não? Já que é aqui que atualmente moro com gosto. Mas não, meus caros, meu coração é curitibano. Sou portanto suspeito quando falo bem da “verdeza” da minha terra, vocês podem argumentar. Mas leiam este post sobre Curitiba (em inglês) num blog sob a batuta da National Geographic e vocês concordarão que Curitiba é mesmo lazarenta de tesão*.

*Tem que ser de Curita pra entender a expressão. Ha!

Acho que estou com saudades de casa. Me deu um aperto forte no coração agora.
Fotos todas Googladas

6 comments:

"paranaense" said...

Também não nasci em Curitiba, mas concordo que sentir-se curitibano é um estado de espírito. Se as capitais dos outros estados brasileiros seguissem o exemplo de Curitiba em prestação de serviços públicos, organização e limpeza, teríamos um país bem melhor.

Alien 8 said...

Poxa vida! Moro em Boston, nos EUA país de primeiro mundo, mas não tem como comparar com Curitiba. Ela é exemplo de cidade e cidadania. O verão é bom para passear e o inverno é bom pra namorar. Coitadinha de Boston comparada a capital moderna.
As imagens valem milhões de palavras também. Fico feliz que minha cidade natal acolheu pessoas tão bem que elas se sentem nativas.
Ornitorrinco, o texto ficou parecendo Wikipedia com as fotos. Muito bom!

Alienígena Curitibano.

marinamosol said...

E a cidade é do róque ainda... \o/. Se não fosse o frio eu moraria aqui pra sempre..hahahhaha.

Adri said...

Sou curitibano de sangue e de coracao, nascido no Hospital Sao Lucas pertinho do centro. E sempre que viajo para Brisbane (Australia) e vejo o sistema de tranporte publico de la, que foi implementado baseado na ideia da nossa Cidade amada... me da um orgulho de explicar que aquele sistema eh paraticamente NOSSO!

CuritibaStreetFashion said...
This comment has been removed by the author.
CuritibaStreetFashion said...

Hey querido!

Q bom q gostou do blog!
O seu ja acompanho ha tempos...

Agora vc pode matar saudade do povo bonito de curitiba, dos botecos....

beijo