Friday, December 14, 2007

Palavras

Já que final de ano é tempo de se fazer listas faço uma aqui. Nada mais chato do que listar as realizações do ano que se foi ou planos para o ano que chega.Então prefiro ser mais poético e fazer uma lista de palavras, vocábulos que sinto saudades de falar e de ouvir. Algumas pelo valor sonoro das letras juntas. Outras pelo que elas representam. E umas outras sem muita razão aparente mais que são palavras que eu simplesmente gosto. Aqui estão elas seguidas por uma ligeira explicação.

Assombração: Não há uma palavra em inglês como esta. Para início de conversa, na forma temos o som “ão” inexistente em inglês. Mas mais importante que isto é o que “Assombração” me traz a mente. Vejo uma cidade do interior, talvez Palmeira no interior do Paraná, vejo um casal de velhinhos caboclos numa casa de madeira contando histórias de fantasmas para as crianças de olhos espertos esbugalhados.

Caracol: Uma das minhas palavras favoritas de todos os tempos. Lembro duns caracóizinhos que havia no quintal da minha casa de Higienópolis no Rio de Janeiro. Eles tinham uma casca branca, frágil, eram pequenos, andavam bem devagar, obviamente. Acho que gosto da palavra por ela me lembrar do meu quintal, das brincadeiras com meu irmão, de subir na parreira de uvas. Mas também adoro o som. Gosto de como a lingua no fundo do céu da boca no prim eiro “C” faz uma pequena onda que vai para a frente do céu da boca para pronunciar o “R” e volta para o fundo da boca terminando com o enrolar do“ol” final.

Porventura: “Por acaso”, “Talvez”, “Quem sabe”, todas úteis, super usadas. Talvez por isso não sejam tão legais de se usar como “porventura”. Fui um grande falador de “porventura” no Brasil. Aqui uso bastante o “Perhaps” que também gosto, porventura tanto quanto gosto de “Porventura”.

Carta de alforria: Estas três palavras juntas são o que uso quando uma namorada deixa eu sair sozinho. Como gosto de sair sozinho, gosto da palavra. Bem, não é tão simples assim. Tive uma chefe que era burra, tapada, uma idiota. Eu, que amo todos, cheguei a ter ódio daquela mulher. E ela com toda sua ignorância foi a primeira pessoa que vi usando essa expressão que até então eu desconhecia. Ela portanto me ensinou algo. Acho que penso em “Carta de alforria” e minha confiança na humanidade dá uma piscada para mim. Meu pai diz que ninguém é tão inteligente que não possa aprender alguma coisa com alguém todos os dias, e ninguém é tão estúpido que não possa ensinar alguém algo todos os dias.

Vaga-lume: Uma mistura de assombração e caracol. Me faz lembrar da cultura de cidade do interior (talvez Palmeira no Paraná novamente) onde encontramos bastantes vaga-lumes. E também me lembra meu irmão, minha infância, meu amor por bichos, todos os bichos.

Onomatopéia e Mitocôndria: Coloco as duas palavras juntas por que gosto delas pelo mesmo motivo. Soam divertidas. Cheia de sílabas, acentos bem colocados, estas palavras parecem que saem cantando da boca. Em tempo, as onomatopéias propriamente são prontas para serem cantadas também: pipilar, tintim, cacarejar.

E vocês? Vocês tem palavras prediletas?

11 comments:

"Enigmista" said...

Como sou uma espécie de artesão que trabalha com o vernáculo tenho verdadeira fissura por palvras.Tenho como "hobby", desde criança, resolver palavras cruzadas e enigmas tais como charadas das mais diversas modalidades. Até já escrevi textos, em várias ocasiões, só para "aproveitar" uma palavra, particularmente sonora ou, cujo significado me chame atenção ou seja interessante. Minha duas palavras que estão na pauta para serem aproveitadas são: "Proselitismo" e "rubicundo".

"Tuaregue" said...

Excelente! É por aí mesmo! O fascinio que as palavras exercem merecem esse texto bem feito, bem construído. Parabéns!

Alien 8 said...

Eu gosto de palavras de origem indígena ou que soam de origem indígena: Curitiba, Paraná, jaboticaba, Massachusetts, Iowa, pé, pá, Winnipesaukee...

eduardo said...

"recôncavo"

"idiossincrasia"

"periculosidade"

"prolixo"

"catapulta"


mas como era mesmo uma que o Itanel te chamou uma vez??

Má Mosol said...

Peripatético!!!!!!

HAHAHAHHAHAHAHAHA

Amatuzzi said...

Isso!!!ahahaha

gosto muito de "característica", pq a fonética caracteriza mto bem o sentido da palavra, assim como "abstrato".

Anonymous said...

Leiam meu blog: www.jairclopes.clickblog.com.br e vejam o bom emprego que fiz da palavra "proselitismo" no post, "LA BASURA".

Ruy said...

Ornito, a minha preferida, literalmente, é felpudinha.
Qualquer dia, com mais tempo, te explico sobre.
Abç,
Ruy, o herético de Jacacity.

Projeto Canción said...

Pode ser uma frase?

Abacateiro acataremos teu ato, nós também somos do mato, como o pato e o leão.

Cante essa frase, da música Refazenda do Gil, com toda a vontade. Tem coisas que só a língua portuguesa pode fazer por você. Mas o castelhano também é divertidíssimo. Almodóvar ficou muito mais engraçado depois que pude entender as entrelinhas espanholas.

Mas uma palavra portuguesa que gosto muito é fluxo, pois essa palavra parece que forma um canal por onde segue o fluxo.

Um beijo Augusto!

Amatuzzi said...

Estatística, artefato e volátil

Rodrigo Boca said...

Gosto de delícia, crocância, timbre, mas uma que se merece tanto na fonética quanto no significado é a desprezível "mixuruca"...ahauhua..que deve com certeza ter parentesco com "mixaria"...a forma antiga "cousa" também acho divertidíssima. =)