Tuesday, June 13, 2006

A Criança de Bom Coração tinha Razão

Eu, criança pequena, estranhei quando me mudei para Curitiba vindo do Rio e no Sábado antes da Páscoa não lincharam o Judas.

No Rio de Janeiro o boneco pindurado no poste era esperado pelos moleques com mais ansiedade que os ovos de chocolate do dia seguinte. Era uma festa. Na minha rua, classe média-baixa, fazíamos um Judas de calças jeans surradas, camiseta velha e, para a cabeça, meias de seda furadas. Ás vezes colocávamos bolas de isopor para os olhos, se não só desenhávamos os contronos dos olhos, nariz e boca com uma caneta Pilot. Lembro que uma vez, só uma, o nosso Judas teve pés. Um par de tênis M2000 que já não servia ao dono por causa do tamanho e estado. Nas ruas dos burgueses eles tinham calças boas sempre e camisas de botão. Os meninos e meninas lá linchavam um Judas que tinha até mãos feitas de luvas enchidas (não com nossos jornais velhos) com algodão ou pano, coisas mais caras.

Mas as crianças ricas ou pobres eram puras e inocentes e não ligavam para qualquer outra coisa que não fosse brincar surrando o boneco Judas com um cabo de vassoura e depois colocar fogo no resto. Era isso, simples diversão.

Depois a gente cresce. Aprende que o simbolismo folclórico de malhar o Judas na cidade primordialmente povoada por lusitanos tinha origens atreladas ao catolicismo dos seus fundadores. Escariotes era a representação da infidelidade, e ao lado dos Judeus e Romanos assumia a culpa de estender o pesar dos homens. Traiu Jesus e ali, naquele ato de bater e queimar estava uma manifestação de religiosidade para a absorção e entendimento do sentido do beijo fatídico em Nosso Salvador. Era então algo sério, não era brincadeira.

Agora adulto acham o tal do Gospel de Judas. Os historiadores e teólogos descobrem que Judas declara-se inocente em seus escritos e afirma que Jesus pediu para ser traído como parte de um plano divino.

Puxa vida! Era só uma brincadeira então. Povo boboca!

3 comments:

Amatuzzi said...

Malhei muito Judas na minha infância, no Prado Velho. Certa vez, o Elton, que era o vizinho dois anos mais velho, carregou o boneco em sua barra-forte e a molecada atrás a malhar

Amatuzzi said...

Existe uma musica do Raul chamada Judas, que se vc nao conhece faço questão q ouça.
fala do plano secreto, é uma das preferidas minhas e da queridissima Michele Torinelli.

Amatuzzi said...

representa Judas falando na primeira pessoa:sensacional.
Um trecho q gostamos mto é :

"Se eu nao o tivesse traído, morreria cercado de luz. E o mundo entao nunca teria a marcada sagrada da cruz".