Tuesday, November 14, 2006

Congresso Americano e Borat

O congresso americano tem agora democratas como maioria na casa. Enquanto isto nas salas de cinema o esculhambado e infame filme "Borat" caminha para se tornar uma referência cultural. Dois fatos aparentemente separados se encontram em algum lugar na maneira de pensar do novo americano.

Os estúdios da Fox lançaram Borat em apenas pouco mais de 800 salas na primeira semana de exibição com medo de que os mais conservadores do interior dos EUA não fossem rir das piadas extremente politicamente incorretas do personagem. O presidente Bush, segundo ele mesmo afirmou, até a véspera da eleição ainda achava que dava para os republicanos virarem o jogo apontado pelas pesquisas.

Se pudessemos sentar o grupo Fox numa sala de debate político eles estariam à direita juntos de George Bush. Primeira coincidência: ambos foram, bem, conservadores em suas previsões.

Muitos dos democratas eleitos defendem o casamento de gays, o direito ao aborto, são contra a guerra ou, até mesmo, a favor das drogas. Coisas que mais uma vez, se pudessemos sentar numa sala estariam à esquerda. No mesmo lado das piadas anti-religiosas, do humor do incesto, da comédia escatológica de Borat.

3 comments:

anônimo said...

Tai um bom motivo para se morar onde acontecem as coisas (USA), ver as coisas no nascedouro e poder relacioná-las com o contexto no qual se vive. Se algum dia o filme Borat pintar por aqui vai estar tão desgarrado da nossa realidade que, quando muito, será apenas um bom ou mau filme decontextualizado. Azar o nosso.

Daniel Caron said...

Lopes, quando tiver um tempinho passe lá no blog da nossa neném: http://www.cadealuiza.blogspot.com/


Grande abraço fera!

Daniel Caron said...

Cara, não consigo falar com vc nem com o Amatuzzi. Minha filha nasceu, no sábado, dia 2, de parto natural. Ela e a Michelle estão bem. Infelizmente, na terça anterior, dia 28, meu pai (o grande Big Jonas Show) morreu em Campina Grande do Sul, de falência multipla dos órgãos, depois de passar por cirurgia. Cara, é o momento mais complexo da minha vida. Estou muito triste pelo meu pai, feliz pela minha filha, sereno com a vida. Tô passando aqui pq acho que vc vê mais o blog que seus e-mails (mandei vários não respondidos). Mas td bem, quero apenas que vc saiba que tem em mim um grande amigo, pra qualquer hora. Caron